Mashreq: 5 lições para aumentar o trabalho das mulheres no setor digital

–>–>


O setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na região do Oriente Médio e Norte da África (MENA) é vibrante e um motor de empregos. No entanto, as mulheres no Iraque, Jordânia e Líbano são frequentemente excluídas dos empregos e recursos de TIC. O cenário de Rania não é único: na Jordânia , 35% dos graduados em engenharia são mulheres, mas representam menos de 15% da força de trabalho de engenharia; no Iraque , a diferença de gênero estimada no acesso à Internet é de 28%; e no Líbano , a diferença na posse de celular é de 17%, em desvantagem para as mulheres.


A tecnologia não é neutra em termos de gênero, pois as mulheres enfrentam barreiras adicionais – estruturais, culturais e econômicas – para uma participação igualitária na economia digital. Essas barreiras precisam ser superadas para que o desenvolvimento digital atinja seu potencial de impulsionar a prosperidade compartilhada. Para desmantelar os aspectos de gênero do desenvolvimento digital, o Banco Mundial identifica e aborda barreiras e oportunidades em cinco pilares: infraestrutura digital, plataformas digitais, serviços financeiros digitais, empreendedorismo digital e habilidades digitais – todos os quais se aplicam ao considerar o tópico no Mashreq .


Nesse contexto, o Mashreq Gender Facility do Grupo Banco Mundial convocou recentemente uma clínica digital de quatro sessões para cerca de 200 formuladores de políticas, empreendedores, incubadores, executivos multinacionais e especialistas do setor para discutir como desenvolver uma economia digital que apoie a agência e a participação das mulheres no Iraque , Jordânia e Líbano. A figura abaixo resume o resultado desta reunião: inclui amplas lições que demonstram que a transformação digital pode ser um grande equalizador para mulheres empresárias e trabalhadoras em combinação com um ambiente favorável apoiado pelo governo, demanda por habilidades e talentos no setor privado setor, e aceleradores e investidores equipados com apoio sensível ao gênero e estratégias de investimento.


–>–>


Quais são as principais lições?



  • Lição 1: O papel do governo é fundamental para promover a justiça e o crescimento inclusivo. Ter um forte ambiente regulatório é fundamental para criar condições de igualdade onde as empresas prosperam e os recursos financeiros de que precisam podem ser aproveitados. As empresas no Mashreq, incluindo start-ups, sofrem porque os negócios são demorados e caros para iniciar e licenciar. Eles também sofrem porque acham difícil pagar impostos, adquirir licenças de exportação e entrar nos mercados. Isso se aplica particularmente às empresas com menos acesso ao capital de investimento, que são desproporcionalmente de propriedade e liderança de mulheres. Os governos podem ajudar a equipar todos os membros da sociedade com as habilidades e o acesso à infraestrutura necessária para aproveitar o desenvolvimento digitaladotando objetivos concretos de equidade e alocando os recursos necessários para alcançá-los.



  • Lição 2: O setor privado é um impulsionador da demanda por habilidades e uma fonte vital de empregos digitais . O setor privado é vital para o crescimento do emprego na região MENA, com potencial para expandir as oportunidades na economia digital. Conforme documentado na Jordânia, quando as empresas de tecnologia priorizam a diversidade de gênero, elas lucram e também fecham a lacuna de habilidades digitais. Uma série de estudos de caso de negócios no Mashreq identifica vários fatores que podem ajudar o emprego no setor privado, como acesso a mentoras mulheres, mais representação na estrutura corporativa (promover profissionais do sexo feminino como Nadine não seria apenas a coisa certa a fazer, mas também fazem sentido para os negócios!), recursos financeiros para setores em que as mulheres provavelmente iniciarão negócios, treinamento técnico e empresarial e coleta de dados desagregados por sexo sobre os consumidores.



  • Lesson 3: Accelerators and investors can channel resources and forge connections in new ways. Given the low access to finance in the Mashreq, to help women like Aseel to transition her business to digital, establishing funding mechanisms through accelerators, incubators, and investors with ambitious gender-sensitive targets is necessary. They can open access to networks and markets, support training on business, ICT, and soft skills to close the digital and entrepreneurial skills gap between women and men. Strategies like Five One Labs ‘Female Founders Fellowship promote role models, networks, and links between buyers and entrepreneurs to overcome market barriers.



  • Lesson 4: There are many new tools that entrepreneurs can access to vastly expand their opportunities. Women entrepreneurs from Iraq, Jordan, and Lebanon and business development experts showcased many tools at our digital clinic. The tools included online learning platforms assisting in information and education; ICT-facilitating access to economic opportunities, flexible jobs, and new markets; and technologies improving service delivery and engagement. E-commerce tools allow women entrepreneurs to increase sales, enter traditionally male-dominated sectors, access business support services (such as training and accounting), and improve flexibility and adaptability.



  • Lição 5: A comunidade internacional desempenha um papel fundamental como convocadora e disseminadora de conhecimento. A economia digital é fundamentalmente sobre ultrapassar fronteiras e permitir novas conexões e oportunidades. Ao reunir partes interessadas de diferentes setores, países, regiões e mercados, as instituições internacionais do Mashreq podem apoiar a identificação, direcionamento e ampliação das inovações.


–>–>


International actors can also call attention to the importance of early-age exposure to ICTs, which girls all too often lack, and connect employers directly with young women through events like the DigitalAg4Her hackathon. The World Bank uses its global knowledge base to place digital skills development in the gender arena. For example, it can direct digital stakeholders to the Solutions for Youth Employment program, que enfatiza que as habilidades digitais são fundamentais para todos os tipos de setores, não apenas de tecnologia, e enfatiza que essas habilidades precisam ser ensinadas continuamente para ficar a par das tecnologias e oportunidades emergentes. Os modelos público-privados podem ser usados ​​para disseminar o aprendizado, usando modelos de entrega flexíveis e combinados que incorporam orientação e apoio de colegas – aspectos que são particularmente importantes para a inclusão das mulheres.


Mulheres como Nadine, Rania e Aseel existem. Os benefícios da tecnologia não podem ser alcançados sem um ecossistema digital no qual mulheres e homens possam participar igualmente. É necessária uma ação deliberada e comprometida de todas as partes interessadas para perceber essas lições e garantir que a economia digital ofereça maiores oportunidades para todos os membros da sociedade.


Quais são as principais lições?

Source: https://www.worldbank.org/en/news/feature/2022/11/24/mashreq-5-lessons-to-increase-women-s-work-in-the-digital-sector

Deixe um comentário